Muito Fácil: Como Criar uma Loja Virtual

Marketing Digital

Muito Fácil: Como Criar uma Loja Virtual

Prof. Bruno Marinho
Escrito por Prof. Bruno Marinho em julho 21, 2020
JUNTE-SE A MAIS DE 150.000 PESSOAS!

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Descubra como criar uma loja virtual para o seu novo negócio e comece a lucrar ainda hoje, com a venda de produtos físicos pela internet.

Após a chegada no novo coronavírus, muitos empreendedores tiveram que migrar do “mundo físico” para o mundo virtual.

Sem contar que, existem aqueles que continuaram desempenhando suas funções em estabelecimentos físicos, mas viram suas vendas despencarem, sendo obrigados a usarem a internet para impulsionar suas vendas.

Nesse contexto, é importante salientar que usar uma plataforma segura, que possibilite a inserção de um catálogo diversificado de produtos é fundamental para garantir o sucesso de um negócio.

E no artigo de hoje, quero apresentar algumas dicas incríveis, que irão te ajudar a esclarecer suas dúvidas sobre como criar uma loja virtual do zero. Confira!

Você também vai gostar de saber: “O que Vender na Quarentena para Ganhar Dinheiro?”

Como se Planejar antes de Criar sua Loja Virtual

Antes de tudo, precisamos falar sobre planejamento. É imprescindível que você se planeje para garantir que seus planos saiam do papel e apresentem os resultados que você deseja.

Nesse sentido, selecionei 5 aspectos essenciais. Anote aí:

  1. Saiba definir o seu Nicho de Mercado – Opte por algo que você realmente goste e, se sua loja virtual for uma extensão do seu negócio físico, pense em seus clientes habituais, a fim de garantir que as vendas pela internet sejam tão boas, quanto as vendas na loja física.
  2. Construa e respeite seu Planejamento Financeiro – Não é porque a loja é virtual, que ela não precise de uma boa estrutura. Na verdade, um negócio digital é tão importante, quanto um negócio físico e portanto, você precisa se organizar financeiramente, a fim de não jogar dinheiro fora.
  3. Defina como será sua operação – Escolha as bandeiras de cartões que irá receber, bem como, defina as demais opções de pagamentos e de envios. Isso é muito importante para garantir que você e o cliente fiquem satisfeitos e não tenham problemas operacionais.
  4. Estude sobre Marketing Digital – Sem dúvidas, essa é a etapa mais importante de todo o processo. Não da para migrar para a internet, sem antes saber ao menos o básico de como um negócio digital funciona. Nesse caso, vou deixar aqui o link do meu canal no youtube para que você assista minhas aulas gratuitas sobre Marketing Digital e Empreendedorismo.
  5. Trabalhe Apenas com o Melhor – Isso significa que, é preciso escolher a melhor plataforma, os melhores fornecedores, os melhores produtos etc. Entregue o que há de melhor para o cliente e, em troca, receba dele a confiança e a dedicação que sua loja merece.

E agora que você já sabe de tudo isso, vamos descobrir como criar uma loja virtual na prática. Continue sua leitura…

marketing com bruno marinho

Como Criar uma Loja Virtual

Anote aí os principais pontos para criar seu negócio na internet:

Escolhendo a Plataforma

Em primeiro lugar, escolha a plataforma em que sua loja ficará hospedada.

Para começar, você pode optar pelo WooCommerce, o plugin de loja da plataforma WordPress. Nesse caso, você precisará instalar o plugin e seguir os passos das instruções que surgirão na tela.

Ou ainda, pode optar pela Loja Integrada, uma plataforma independente que, te deixa inserir até 50 produtos de maneira gratuita. Nesse sentido, a única coisa que você precisará é de um domínio.

E para isso, vou sugerir a leitura do meu artigo “Passo a Passo para Registro de Domínio em 2020”. Nele eu ensino como criar e registrar o “nome do seu site” na internet. Vale a pena ler!

Feito isso, é importante escolher um bom servidor de hospedagens. Vou indicar a Hostgator, pois é o serviço que confio e uso.

Definindo os Métodos de Pagamentos

Agora que você já tem a plataforma, o domínio e o servidor de hospedagem, precisa definir quais serão os métodos de pagamentos recebidos por sua loja.

Em linhas gerais, existem três maneiras de receber pagamentos online:

  1. Intermediadores de pagamentos (recomendado) – Ainda que os intermediadores cobrem uma taxa fixa por transação, eles te dão suporte contra fraudes virtuais, o que é muito importante. Para tê-los, basta instalar plugins ou aceitá-los dentro da plataforma, no momento da criação da loja.
  2. Gateways de pagamento – Eles também cobram apenas uma taxa fixa por transação. Todavia, mas nesse caso, você precisará contratar serviços de anti-fraude e outros. Por isso, só é recomendado para quem já sabe trabalhar com esse tipo de negócio.
  3. Integração direta com a adquirente – Nesse caso, você tem contato direto com o cliente e pode negociar taxas de maneira mais livre. Porém, só recomenda-se esse tipo de transação se você tiver certeza absoluta do que está fazendo.

Garantindo a Segurança da Loja Virtual

Agora você precisa garantir a segurança dos dados de seus clientes. E isso pode ser feito de duas formas:

  1. SSL (Secure Socket Layer) – Existem plugins de SSL que podem ser instalados em seu site, eles protegem os dados dos usuários, impedindo que bandidos se aproveitem para roubar informações em sua loja virtual.
  2. Scan de Aplicação e IP – Nesse caso, você deverá contratar um fornecedor de segurança e solicitar o Scan de Aplicação e IP para sua loja, assim, ele irá buscar vulnerabilidades no seu site, a fim de eliminá-las com segurança.

Trabalhando o Marketing

Mas, para conseguir ser encontrado na internet é preciso ir muito além do que ter uma loja bem feita e segura. Você precisa trabalhar o Marketing Digital. E vou citar os principais pilares dele:

  • Marketing de Conteúdo – Se possível, insira um blog dentro da sua loja e publique conteúdo regularmente. Através do conteúdo o Google irá indexar suas páginas, gerando tráfego orgânico para a loja. Isso irá potencializar suas vendas e garantir que seu retorno sobre o investimento, seja mais rápido.
  • Redes sociais – Crie perfis comerciais para sua loja virtual nas principais redes sociais do mundo. Lembre-se que a grande maioria de seus clientes estão interagindo com lojas nas mídias sociais e por isso, você também precisa estar lá.
  • Links Patrocinados – Use o Google Ads e o Facebook Ads para impulsionar suas publicações. Através de anúncios pagos você aumenta sua visibilidade na internet a atrai mais clientes para seu negócio.
  • Email Marketing – Trabalhe o email marketing do seu negócio, pois através dele será mais fácil identificar o perfil de seus clientes, a fim de garantir mais vendas para o seu negócio.

Garantindo um bom Suporte

Lembre-se de dar um bom suporte para seus clientes, afinal, eles precisam voltar novamente, ou pelo menos, precisam indicar seu negócio para outros clientes.

E para isso, nada melhor do que oferecer um canal de suporte no pré e no pós-venda. Pode ser um telefone, whatsapp ou email.

Definindo a Entrega

Depois disso tudo, é preciso garantir que os produtos cheguem intactos na casa do cliente. Para isso, é preciso escolher quem irá levar seus produtos até os clientes.

Existem, basicamente, duas maneiras de realizar a entrega:

  1. Correios – Embora seja o modelo mais simples de entrega, os Correios possuem algumas limitações. Como por exemplo, é possível enviar até 30kg por envio, assim como, existem especificações máximas de dimensões.
  2. Transportadoras – São mais confiáveis que os correios, porém mais caras. Portanto, é mais indicada para negócios que fazem muitas transações diárias.

Aplicando a Lei

Por fim, mas não menos importante, a sua loja virtual precisa estar dentro da lei. Nesse caso, não se pode descuidar das regras!

Existe uma Lei do E-commerce, onde todo lojista precisa seguir corretamente, a fim de garantir que tudo seja perfeito para seus clientes.

Dentre os principais aspectos da lei estão:

  1. Informar os dados da empresa – O lojista é obrigado a informar no rodapé de suas páginas os dados do seu negócio.
  2. Discriminar despesas adicionais – Nesse caso, trata-se do frete e do seguro das compras, por exemplo.
  3. Atendimento ao consumidor – Ao menos um canal de atendimento precisa estar especificado no site.
  4. Direito de arrependimento em 7 dias – Isso é fundamental. Todo cliente pode trocar o produto até 7 dias depois de fazer a compra; sem restrição.
  5. Troca de produtos com defeito – A regra anterior, vale para clientes que compraram um produto com defeito.

Bom, então é isso. Espero que você consiga manter suas vendas em alta!

Se esse conteúdo te ajudou, compartilhe com seus amigos do Facebook e continue acompanhando as publicações aqui do blog.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

CONTEÚDO EXCLUSIVO!

Receba Dicas e Estratégias de marketing digital diretamente em seu e-mail!

Estratégias TESTADAS E COMPROVADAS!